Amor ao esporte.

Além do que se pode ver.

Futebol de 5

Segundo relatos, a modalidade teve início no Brasil por volta da década de 1950, com cegos jogando futebol com latas, garrafas e bolas envolvidas em sacolas plásticas dentro de instituições que os acolhiam. A primeira competição no país ocorreu em 1978, em Natal, envolvendo algumas APAEs. A primeira competição na América do Sul, reconhecida pela Federação Internacional dos Desportos para Cegos, foi a Copa
América, em Assunção, em 1997, com o Brasil campeão. Também participaram a Argentina, Colômbia e Paraguai. Principais títulos do Brasil no Futebol de 5: pentacampeão mundial (1998, 2000, 2010, 2014 e 2018) e tetracampeão paralímpico (2004, 2008, 2012 e 2016).

A Magnus apoia 12 equipes de Futebol de 5 espalhadas por todo o país e que disputam os principais campeonatos da modalidade. Entre elas, a atual campeã brasileira, AGAFUC (RS).

Como é praticado:

Os jogos são disputados em quadras com medidas de futsal. O local conta com placas de madeira que vai de uma linha de fundo a outra, para que os atletas possam usar como referências das laterais da quadra e se guiarem, se necessário. Os times tem cinco jogadores, sendo que o goleiro tem visão total e os quatro na linha, totalmente cegos, usam vendas nos olhos para que fiquem em igual condição. Há também o guia, que fica atrás do gol adversário, orientando o ataque da sua equipe. Quando possível, ele bate na trave com um objeto de metal, para auxiliar em cobranças de faltas, tiros livres ou pênaltis. O posicionamento da defesa é responsabilidade do goleiro e o técnico cuida das jogadas que acontecem no centro da quadra.

O ideal é não haver qualquer tipo de barulho durante a partida, para que os jogadores possam ouvir o guizo que tem na bola e assim se orientarem. Todos atletas são obrigados a falarem a palavra espanhola “voy” (“Vou” em português) para indicar que estão indo em direção a bola e assim evitar possíveis choques dentro da quadra.