Como alimentar corretamente os seus filhotes?

Cuidar de um pet é uma grande responsabilidade e exige uma série de cuidados. Os principais estão relacionados à alimentação, afinal, a nutrição do animal influencia diretamente a sua saúde.

Compartilhar

Cuidar de um pet é uma grande responsabilidade e exige uma série de cuidados. Os principais estão relacionados à alimentação, afinal, a nutrição do animal influencia diretamente a sua saúde. Quando se leva um cão ou gato filhote para casa, é natural que surjam algumas dúvidas sobre a melhor maneira de alimentá-lo, e nesse período ideias equivocadas são comuns. 

Muitos pensam, por exemplo, que nos primeiros meses a ração é “dura demais” para os animais, ainda pequenos e frágeis. Para “poupá-los”, então, os donos costumam umedecer a ração e fazer “papinhas”, o que não traz nenhum benefício ao bichinho. O processo de mastigação é necessário e muito importante para o desenvolvimento, e não deve ser evitado. Se isso acontecer, é provável que seu pet comece a morder as cadeiras, o pé da mesa e da sua cama – o que, certamente, não é nada agradável. 


Hoje, o mercado dispõe de diversos tipos de alimentos para cães e gatos, entre secos, semiúmidos e úmidos. Para não errar em meio a tantas opções, o ideal é buscar alimentos específicos para filhotes, que devem ser a base de suas refeições até que se tornem adultos. 

Um grande erro cometido pelos donos é oferecer aos pets comidas indicadas para seres humanos, como bolachinhas, torradinhas e pães. Isso não pode ser feito! O ideal é sempre dar a eles um alimento próprio, que, no processo de industrialização, recebe os nutrientes necessários para se tornar completo e balanceado para os bichos. O mercado conta, também, com diversos tipos de petiscos que têm os nutrientes ideais para o seu bichinho. 

Em outros casos, o dono adota um pet que já tinha hábitos alimentares definidos, mas inadequados. O que fazer nessa situação? É importante ressaltar que as mudanças na alimentação sempre devem ser feitas de maneira gradativa, para facilitar a adaptação do cão ou gato. 

Outra dúvida comum em relação às refeições dos animais diz respeito à quantidade oferecida. Atente-se às informações das embalagens, que geralmente contêm uma tabela a ser seguida. Para fazer a medição, a melhor forma é usar um copo com indicação de peso ou uma balancinha, para garantir que a quantidade certa seja dada. O ideal é dividir a porção diária recomendada para o seu animal em três refeições, equivalentes ao café da manhã, almoço e jantar. 

* René Rodrigues Junior é médico veterinário da Magnus.